quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

2012: Recomeçar ou Continuar?

Todos os direitos reservados para Getty Images
Mais um ano chega ao fim, e o tempo passa com uma velocidade violenta, o que ontem era novo hoje já é velho, o que era importante virou banal, e o tempo continua passando!

E foi-se um ano, um bom ano profissionalmente e pessoalmente, um bom ano em termos de contatos, de passeios, de amigos, de botecos e fisicamente falando um ano de muito descanso! Mas mentalmente e espiritualmente foi um ano exaustivo, vibrante, digamos... Totalmente diferente! Um ano de muitas turbulações, navegando por águas desconhecidas e fascinantes, um ano adorável!

Posso afirmar inclusive que não cometi erro algum(quanta presunção! rs)... Longe de mim ser perfeita, mas tais 'erros' me trouxeram grandes benefícios, benefícios incalculáveis! Então como poderia encarar os erros como coisas ruins em si?!

Quando cheguei em dezembro, comecei a olhar no relógio do tempo e a me cobrar atitudes, cobrar resultados palpáveis, mas logo eu que tanto prego o contrário, havia esquecido que o mais importante não pode ser tocado, nem visto, o mais importante é sentido... E isso.. Eu sinto, e muito!

No final de 2010 escrevi este texto e hoje, quando parei para ler... Vi que a vida levou a risca todos os meus pedidos, e que 2011 foi exatamente o que eu pedi! ( Portanto cuidado com o que pede! )

Em 2011 aprendi MUITAS coisas, tantas que nem sei onde armazená-las, as vezes acho que preciso de uma penseira para não sobrecarregar o cérebro! Ao menos aprendi a usá-lo! rs... Também fiz novos amigos, mas melhor que isso, mantive os antigos com muita felicidade, limpei meu jardim tirando algumas ervas daninhas, claro que provavelmente ainda tenha uma ou outra erva daninha por ai... Mas elas já não me atingem mais!

Percebi que executei novamente alguns circulos viciosos os quais imaginei que não apareceriam mais, porém desta vez com uma boa ajuda fui capaz de identificá-los. Enfiei o dedo em algumas feridas profundas, e doeu, muito! Mas se você quer curar-se tem que fazer um tratamento, as coisas não caem do céu! Deixo portanto aqui o que não me serve mais, deixo minhas cobranças absurdas, deixo pessoas, deixo o lixo alheio e me purifico enfim!

Este 2012 acho que chegou a hora de amadurecer um pouco mais, assumir algumas responsabilidades, ser independente... Mas claro... Continuar sorrindo! Pois isso é algo que jamais irão conseguir me tirar! Portanto os pedidos feitos em 2011 continuam mas com algumas alterações! Irei fazer 23 anos em um mês e está na hora de pensar no meu futuro, portanto pretendo normalizar a situação financeira e melhorá-la, fazer uma pós, inglês, quem sabe um carro ou uma casa... E lá vamos nós! rs

Acredito piamente que não é 2012 que tem que ser diferente, é você! Isso me faz pensar se estou seguindo o caminho correto, e sim... Estou! Aprendendo, buscando, evoluindo... Um conserto de um lado e de outro, mas sempre buscando melhorar! Então te convido a perguntar a si mesmo, o que você está fazendo de errado, porque sua vida tem sido tão medíocre e como você realmente gostaria que ela fosse! E o que você deve fazer para que as coisas entrem nos eixos! E porque você tende a idealizar tanto ao invés de aceitar as coisas como são!?

Nestes textos estão impressos parte de minha alma e quero agradecer a você que acompanha este espaço, que possamos continuar juntos no próximo ano. Espero que você tenha conseguido evoluir de alguma forma e colocado algumas coisas em práticas, espero também ter conseguido abrir ainda mais a sua ferida e que ela tenha doído bastante, porque só assim você é capaz de curá-las! Que minhas boas energias tenham fluído a ti, e que suas tenham vindo à mim.
Todos os direitos reservados para Getty Images


Obrigada mesmo a você que me taxa como idiota e sequer acredita em minhas palavras... Mas que continua acompanhando o espaço, Acho de verdade que você quer acreditar... Mas se sabota demais pra isso, porque você não se acha merecedor de tal felicidade! Aos que me conhecem pessoalmente sabem que digo verdades da minha realidade!

Enfim... Se será o fim do mundo ou não, iremos descobrir em dezembro de 2012, enquanto isso não podemos deixar a peteca cair! Se for realmente o fim eu irei pro inferno por não seguir os mandamentos de Deus!

Então que venha 2012, tão bom e até melhor que este ano que se encerra! Que possamos descobrir o real significado da palavra amor aquele que emana, aquele que constrói, que exista enfim profundidade, que o vazio seja bem vindo, prosperidade, amizades verdadeiras e sinceras... E paz! Muita paz!!!!!

Uma dica... NUNCA... Mas NUNCA encare a vida como uma guerra, como uma luta! Encare a vida como uma diversão sem fim, um presente, uma verdadeira dádiva! Vamos praticar isso no próximo ciclo e depois você me diga se funcionou!
Kisses and Let's Begin!!!!!!!!!!!!!


Ariane Galindo



segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Profundidade

Todos os direitos reservados para Getty Images
Chegamos a mais um fim de ano... Andamos pelas ruas que estão cada dia mais lotadas, as estações de metrô cada vez mais abarrotadas e lentas, as lojas com enfeites coloridos, nas vitrines roupas brancas, douradas e prateadas!

Fala-se em amigo secreto, em pernil, em ceia, em reuniões familiares, mas não vejo ninguém doando uma cesta básica, não vejo ninguém se preocupando com outro além de sí mesmo! Torramos nosso 13º com coisas fúteis, presentes, roupas e viagens, criticamos o governo, as guerras, as novas leis, o aumentos de impostos e a falta de moradia, mas não mexemos um dedo sequer para mudar nada!

Fala-se de futebol, de criminalidade, do aumento dos salários políticos, de maus-tratos animais, mas não se ajuda uma familia necessitada, não se contribui para uma instituição de caridade, não se assina um abaixo assinado, nem participa de protestos.

O funk toca em alto e bom som nas conduções públicas, canta-se sertanejo nas ruas, ouve-se "Eu quero mais é beijar na boca", paga-se milhões para trazer música internacional de baixa qualidade, mas não se cultiva o MPB, ninguém sequer conhece Bach, Beethoven é somente o nome de um cachorro e trombones, trompetes e trompas só existem em bandas de reggae! Não se divulga Fernando Pessoa ou Vinicius de Moraes, mas conhecemos muito bem Danilo Gentilli, Marco Luque e Rafinha Bastos. CQC é o programa mais comentado, e ninguém sequer sabe da existência do Café Filosófico!

Estamos nos esquecendo da escrita, trocando as palavras, confundindo significados, preferimos audio-books à leitura. Só entramos em livrarias pra comprar quadrinhos, não temos dicionários em casa e depois da era dos downloads os músicos e autores tiveram que buscar outros meios de se sustentar! 

Pra que investir no intelecto quando existem corretores ortográficos, calculadoras, computadores?

Perdemos a noção do abraço, perdemos a noção do calor humano, não sabemos dar bom dia ou boa noite as pessoas, estamos sempre alienados com nossos fones de ouvido e usamos comunicadores instantâneos ao invês de sentar em uma mesa para papear. Falamos com nossos vizinhos todos os dias pelo facebook mas não os vemos pessoalmente há anos. Amizades tem data de validade e se limitam ao status verde nas redes sociais.

Na balada conhecemos tantas pessoas quantas sejam possíveis mas nem ao menos sabemos seus nomes. Os relacionamentos são superficiais, juntamos figurinhas, fazemos da vida uma 'festa' momentânea mas não aprofundamos nossos laços, nossos conhecimentos.

Vivemos em uma realidade superficial, onde as academias estão cada vez mais frequentadas e os cafés e livrarias cada vez mais vazios. Teatros muitos só os conhecem porque foram assistir shows de stand-up comedy ou 'espetáculos' de comédia.

Os filmes que fazem sucesso falam de vampiros que brilham no sol, de lobos, de garotas sonsas apaixonadas, mortes e sangue, carros que viram robôs, super-heróis, e quando algo foge desse padrão é caracterizado como ruim, arcaico, coisa de louco. Ouvi meu pai dizer que Laranja Mecânica é filme para loucos e psicopatas.

Disputamos as melhores roupas, os melhores corpos, o melhor penteado, quando o que realmente deveria ser levado em conta é o caráter. Gastamos rios de dinheiro em salões de beleza e clínicas de estética mas temos dó de pagar um pouco mais caro em um livro, quando 'queremos' ler os pedimos emprestados!

"Além de aflitos e desorientados pelo excesso de informação inútil, somos muito superficiais. Falta-nos o hábito de observar e refletir. Assustados com responsabilidade, escolha e decisão, despreparados como adolescentes, nos desviamos do espelho que faz olhar para dentro de nós. Cada vez mais amadurecemos tarde ou mal. Somos crianças tendo crianças." Lya Luft

Eu te pergunto então... O que há de profundo? O que há de complexo? Há algo desafiador neste tipo de existência?

Cansei de nadar no raso quando existe um oceano a minha espera, em 2012 eu vou nadar rumo ao infinito pois quero profundidade, profundidade de sentimentos, profundidade de aprendizados, profundidade de relacionamentos!

Estou cansada de superficialidade!


Ariane Galindo

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Quando chega o fim




O que é o amor? A melhor definição de amor que já vi em minha vida, foi passada a mim por um amigo com o dobro da minha idade, e foi algo, que se me mostrassem há 6 meses atrás eu não entenderia, ia achar uma frase bonita, poderia até repassar, mas a essência do significado não tocaria o entendimento da forma como deveria:

"Amor é um sentimento que transcende a matéria, a aparência, o tempo, as diferenças, o credo, o espaço, os prazeres, os sabores, os valores... É uma palavra fácil de dizer e difícil de sentir." Ewerton Luppo

E um relacionamento amoroso? Sinceramente, não sei mais o que é, porque quando achamos que temos as respostas, a vida muda as perguntas, e porque a vida faz isso? Porque é preciso, porque as coisas não estão fluindo como deveriam e precisamos aprender constantemente:

"Todo corpo permanece em seu estado de repouso ou de movimento retilíneo e uniforme, a menos que seja obrigado a mudar seu estado por forças a ele impressas." Primeira lei de Newton

Quando estamos parados, acostumados com uma situação ficamos em inércia, o universo então precisa fazer algo, porque ele sabe quais são os seus intuitos, e o que é melhor pra você, ele atende seus pedidos, nem sempre da forma como gostaríamos, mas atende!

Costumo dizer que as pessoas que estão juntas, estão por objetivos em comum, são pessoas que lutam por algo, que acreditam, e juntas! Mas nós mudamos o tempo inteiro, estamos em constante mudança, nossos objetivos mudam, nossas personalidades, assim como de nossos parceiros também mudam. Nessa vida nada é certo além da morte.

Algumas pessoas amadurecem mais rápido, outras não, tudo acontece a seu tempo!

Quando em um relacionamento os envolvidos começam a seguir caminhos diferentes, uma hora a situação torna-se insustentável, você se apega a pessoa, ao convívio, aos amigos, a família, aos bichos de estimação, e o término não parece ser a melhor solução.

Mas você está apegado e inseguro, acha que aquilo é amor e quer tentar, então começa a mentir, a magoar, consciente ou não, até o dia que você explode e bum... Acabou! 

A verdade é que a vida não é instituição de caridade.

“Aprendi que não posso exigir o amor de ninguém,Posso apenas dar boas razões para que gostem de mim,E ter paciência para que a vida faça o resto.” William Shakespeare

Términos de relacionamentos são complicados, são dolorosos, principalmente quando algo subitamente acontece e você fica sem entender o porquê, então você se questiona, chega até a pensar que fez algo de errado, mas ai começa a analisar as coisas, os acontecimentos, os avisos que você vinha recebendo e fingia não perceber, então você percebe que a dor seria maior depois, que as coisas não poderiam continuar caminhando com a interrogação constante em sua mente todos os dias como estava acontecendo, sofrer lentamente e constante é muito pior do que sofrer de uma única vez.

Neste momento ficamos parados na estrada, olhando pros lados, pra quantidade de caminhos que temos pra tomar, dá aquele pânico: "E agora, o que eu faço?"... Simples: ANDA PRA FRENTE PORRA!!!! E você anda, com um pouco de resistência no inicio, mas anda!

Você então tem a sensação de estar matando seus sonhos, é como se um pedacinho de você estivesse "morrendo", e realmente está, projetamos tantas expectativas em nossos sonhos e os sustentamos sobre as pessoas quando deveríamos projetar nossos sonhos somente em nós mesmos, pois quando as pessoas não são o que NÓS gostaríamos que elas fossem nos frustramos! 

Mas peraí... Ninguém tem que ser quem você quer que seja, somos todos pessoas distintas, agimos diferente, pensamos diferente. O problema é que idealizamos demais, e fingimos não ver para não ter que aceitar.

O mais legal, é quando você olha pro lado e vê que tem MUITAS pessoas do seu lado, caminhando contigo, pessoas que adoram sua companhia, que gostam de sorrir contigo e que nunca te deixam só, elas pegam em sua mão e te levantam(empurram), pessoas que te amam de verdade, que querem sua felicidade! Não há nada mais gratificante que isso, e você começa a caminhar com elas, e a sorrir com elas, e você que a vida é muito mais que qualquer vinculo quebrado, que o mundo não vai parar de girar por isso.

Claro que fica aquela: "Como eu não fui mais esperto?", "Porque me entreguei tanto?"... Mas... Valeu a pena? Sua felicidade foi proporcional a sua entrega? Então agradeça a vida pelos bons momentos, como diria Peninha "Saudade até que é bom, melhor que caminhar vazio.", não podemos mudar o passado, mas podemos projetar o futuro, ou melhor, cuidar do hoje! Porque o futuro ainda não chegou.

Algumas pessoas matam seus sonhos ao invés de trocar seu alicerce, fazendo isso pedem para que o universo os afaste delas, e quando elas chegam à uma certa idade ficam amarguradas, culpando a vida por ter sido tão ruim. 

O bom é quando você é capaz perceber que seus sonhos ainda estão lá, adormecidos, esperando o terreno seguro para serem construídos, e entende que dessa vez será pedra por pedra.


Ariane Galindo

Escrito em: Sexta-feira, 15 de julho de 2011.






segunda-feira, 21 de novembro de 2011

O Mundo Antes de Mim


Quantos milhões de anos a Terra possui? As galáxias? Tem-se registros de que os primeiros dinossauros surgiram há 230 milhões de anos e foram extintos há 65 milhões. As pirâmides do Egito foram construídas há cerca de 4.500 anos, aproximadamente em 2.600 a.C. e ainda hoje não temos tecnologias suficientes para reproduzi-las.

De acordo com os cristãos a criação do mundo e de Adão e Eva foi realizada em 4.000 a.C. por Deus. Já  Charles Darwin afirma que somos originados da evolução das espécimes onde somente os que são capazes de se adaptar ao ambiente sobrevivem.

Houveram as Idades do Gelo, da pedra... Períodos quentes e medievais, o colapso da Mesopotâmia e etc e tal...

Diante de tanta mistificação de histórias, chego a ficar totalmente confusa a respeito do mundo antes de mim.

Na minha mente todas essas histórias estão misturadas... Será que os macacos fizeram as pirâmides do Egito com máquinas super-sônicas trazidas por deuses extra-terrestres? Será que a Terra é uma bola de gelo? Ou que o espaço é retangular como uma caixa?

Eu nasci na era de peixes ou de aquário? Quantas vezes o mundo já acabou? Big Bang, a Arca de Noé...

Esse mundo todo antes de mim é pura insanidade, talvez por isso seja tão divertido!

Os relatos mais recentes sobre essas histórias foram contados à mim lá em casa, através dos lamúrios de meus pais, diante de tantas reclamações, diversas vezes me pego imaginando como seria o mundo antes de mim...
Se os políticos eram mais íntegros, se o salário era maior ou os preços mais acessíveis.

Meus pais dizem que não existia violência, mas muito ouvi falar sobre maníacos com luzes vermelhas, sobre palhaços assassinos, também me  lembro da história do fuscão preto que fora roubado de meu tio.


Enfim... O que interessa é que depois de mim, o mundo nunca mais será o mesmo! 


Ariane Galindo

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Vazio



Como de costume, minha função aqui é quebrar idéias impostas mostrando um novo angulo de visão, nem sempre correto, nem sempre aceito, e as vezes até um tanto quanto comum! Isso tudo é indiferente à mim afinal este espaço é justamente pra isso não é?!

Procurei no dicionário a definição de felicidade, tive um resultado um tanto quanto insatisfatório, daqueles que diz muito e na realidade não diz nada, tenho pensado bastante neste assunto, na realidade tenho admirado muito essa situação. Percebi que a felicidade é algo muito subjetivo, o tipo de palavra que é imaginado por cada pessoa de uma forma diferente.

Aprendi nos ultimos meses de minha existência a ver a felicidade de um outro ângulo, e até a vi ser confundida com infelicidade ou com algo denominado vazio. 

Essa é a palavra chave... VAZIO... Que palavra feia não é?! Não dá uma angustia de pensar nisso?! Pois prepare-se... Talvez essa seja a ultima vez que você sentirá esse aperto ao falar em vazio! Talvez este seja um assunto um tanto quanto complexo ou talvez não.

Muitas vezes, em momentos extremamente tranquilos de nossa existência, como em uma tarde de domingo quando estamos sem nada pra fazer, sem ninguém pra ligar, aquele momento de tédio, quando sua mente está tão vazia que começa a se incomodar com esse silêncio interior, porque na realidade esse silêncio é sua alma quem grita, sua alma quem fala com você, e as vezes é tão insuportável conversar consigo mesmo.

Daí então começa a auto-sabotagem, você começa a se perguntar se sua vida é satisfatória, se seus amigos são reais, se seu relacionamento é feliz, e começa a cavucar no passado tentando resgatar velhas lembranças, você pega o quadro da sua vida que já está pronto, o tira da parede e começa a fazer remendos na obra de arte, chegando até a repintar outros rostos, outros lugares.

Temos a ilusão de que felicidade é estar sorrindo e com todos os nossos desejos realizados exatamente da forma como gostariamos que fossem... Mas o nome disso não é felicidade, o nome disso é idealização, é ilusão! Você foge da sua realidade, do aqui e do agora, pra viver no mundo da fantasia que está dentro da sua mente, assumindo essas idéias como verdade universal! 

E ai, aquele vazio que tanto estava lhe incomodando some! Você acredita que está feliz e passa a tentar trazer essas coisas todas da sua mente para a realidade! Porém quando isso tudo começa a chegar no mundo real e você percebe que não é nada daquilo que estava nos seus sonhos, inicia-se o processo de frustração, a pintura da sua vida começa a se deformar! 

Você quer então apagar as modificações ou até redesenhar a obra, porém a correção consegue estragar ainda mais o fato, e surge a criação de uma nova obra na vil tentativa de reproduzir a anterior, infelizmente nunca é a mesma coisa, aquele vazio que existia dentro de você na realidade era muito parecido com algo chamado paz, e ele se torna um pesadelo, porque o espaço que deveria estar vazio se preenche com ansiedade, com idealizações, com frustrações desnecessárias! 

Inicia-se a vaidade, o orgulho, você age como se nada estivesse errado, surgem as somatizações, as doenças, o seu corpo simplesmente não consegue mais suportar as feridas que você mesmo causou a sua alma! 

Você não consegue mais ter novos sonhos, novos anseios, não busca novas alternativas, porque sua mente esta totalmente focada na solução do problema! Conseguiu se imaginar na situação? É desesperador não é?

"Mas o vazio tem o valor e a semelhaça do pleno. Um meio de obter é não procurar, um meio de ter é o de não pedir e somente acreditar que o silêncio que eu creio em mim é a resposta a meu mistério." Clarice Lispector

O vazio na realidade, é a alma calma, ela está em paz, está livre para a abertura de novos caminhos, para a busca de novos anseios, o vazio nada mais é do que sua alma pronta. E esse vazio é o que mais pode se aproximar da real felicidade, da serenidade, da realização! 

Quando estamos tentando preencher este vazio com os retalhos velhos há tempos guardados no baú da vida, estamos destruindo o que foi tão dificil de alcançar, estamos nos sabotando porque temos medo da real felicidade, é nosso ego pedindo para sofrer, é nosso coitadismo querendo ser alimentado,  é nossa vaidade almejando sonhos que só existem no mundo da fantasia, surgindo a necessidade egoísta de culpar alguém por nossos erros.

Precisamos deste vazio pra que ele deixe o amor passar por nossa essência, para que possamos sentir o que realmente é a vida! Somente desapegados de tudo podemos realmente sentir!

Que tal parar de lutar contra a correnteza e se jogar de asa-delta desse penhasco chamado vida?


Ariane Galindo


domingo, 9 de outubro de 2011

Catarse


Hoje ainda é segunda-feira, e me pego pensando então, refletindo sobre as circunstâncias da vida, sobre os motivos que me trouxeram até aqui, e sobre todos aqueles que estiveram presente mesmo que em apenas um pequeno trecho, faço então um catarse de minhas memórias, catarse esse que ficará aqui, apenas para vomitar tudo o que me suja, como um grito de liberdade!

Cada pedacinho, cada momento...

Hoje, tenho uma visão mais crítica de tudo, e amanhã isso pode ser ainda pior. Começo a ver a quantidade de situações boas e ruins que atrai na estrada até aqui e me vejo como responsável por tudo que aconteceu, pois na realidade o universo apenas me trouxe tudo o que pedi.

Parei para refletir a respeito das personalidades da maior parte das pessoas que estiveram ao meu lado. Posso perceber um fator comum entre todos eles, um fator que eu jamais havia notado, e também um ciclo vicioso mantido por mim, ciclo este que deixo aqui, neste texto, vomitado, exposto, abro minha ferida para que ela possa enfim ser curada e cicatrizar.

Sempre me doei demais para todos, qualquer pessoa, sempre acreditei no melhor do ser humano, sempre me coloquei em segundo plano porque achava que era minha obrigação ser uma alma boa, que tinha obrigação de trazer alegria, que minha função era fazer as outras pessoas felizes!

Sempre procurei pessoas que queriam e exigiam demais, para que eu pudesse satisfazer meu desejo de me doar demais, e então culpá-las por minhas frustrações, minhas anulações. Mas as pessoas são o que são e eu as chamei por algum motivo!

Motivo este que nunca aprovei, que já critiquei, mas que vejo com clareza que estiveram presentes em todas as situações ruins. Precisei me magoar mil vezes com as mesmas pessoas, e quando elas iam embora e eu achava que tudo iria se resolver, vinham outras iguais para desempenhar o mesmo papel, é como se fosse sempre o mesmo indivíduo com vários personagens distintos.

Hoje, pela primeira vez, eu finalmente percebo que não é minha função fazer ninguém feliz, por mais que minha alegria seja aparente e emane por todos os lugares, por mais que todos queiram sentir um pouco da minha energia, sou responsável apenas por mim mesma, pela minha felicidade, pois cada um é responsável por si! 

Dedico este texto ao meu eu mais profundo, que está prestes a ser expulso por mau uso de bem!



quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Morrer


Cessar a cada dia mais...
Cessar a pessoa ranzinza...
Cessar os velhos hábitos, as más manias...
Cessar o apego...
Cessar o que não me agrega...
EU VIVO!
Vivo porque caminho sempre pra frente, e isso tudo não me acompanha mais...
Vivo porque perco os medos, mas ao mesmo tempo...
Vivo porque persisto, porque caminho...
Vivo porque amo, sou feliz...
Vivo porque aprendo a apreciar as coisas boas...
Vivo e grito à liberdade!

De acordo com o dicionário a palavra MORTE significa:
                • Cessar de viver. 
                • Secar-se. 
                • Extinguir-se, acabar. 
                • Não vingar. 
                • Não chegar a concluir-se. 
                • Desaguar. 
                • Cair em esquecimento. 
                • Definhar. 
                • Perder o brilho. 
                • Morte.




Porque associar a palavra morte somente a um significado ruim?

Vamos mudar nossa forma de pensar, de olhar, e ver quantos bons significados essa palavra pode ter, se algo não vinga em sua vida é porque não lhe pertence, porque estar tão apegado à algo que na verdade nunca foi seu?

Quantas vezes já olhou em seu guarda-roupa e viu roupas que não lhe servem? Algo que nunca usou? Algo que perdeu o brilho pra você? Quantas pessoas poderiam ser feliz com a sua ‘morte’ e ainda assim, você conserva aquilo que na maioria das vezes traz péssimas energias, lhe faz mal!

A energia é como a água, que precisa estar em movimento para que não crie dengue e tenha que ser descartada, muitas vezes afetando quem acumulou o resíduo.

Pensando frio e racionalmente, se durante toda uma vida você teve as mesmas atitudes e não obteve resultados diferentes do que já possui hoje, não houveram bons frutos, tampouco grandes novidades, somente meios termos, fica aqui uma perguntinha: PORQUE VOCÊ ACHA QUE AGORA ISSO IRÁ MUDAR?! 

Sim... Claro... Você gosta de se iludir, vive no mar da ilusão, você acredita que sua vida real é tão medíocre que prefere viver naquela que você fantasiou em sua mente, ela parece ser bem melhor não é?!

“Mas Ariane... Olha o que você está falando... Baboseira total!”

Baboseira mesmo?

Se você soubesse o quanto viver é bom e a infinidade de possibilidades que o horizonte nos dá, você já teria jogado tudo pro alto e ido em frente, sem medos, sem apegos, com a certeza de que o melhor está por vir!

Mate aquilo que te destrói, mate a si mesmo se for necessário, permita-se renascer das cinzas.

Quando digo que o sol nasce para todos não estou lhe dizendo mais um clichê, falo com o coração, falo com fundamento e conhecimento de causa!

Na realidade o que eu quero mesmo... É enfiar de goela a baixo a verdade do quanto você poderia ser realmente feliz se o quisesse, se tomasse a decisão!

Mate os velhos hábitos, as velhas manias, os velhos sonhos desbotados... Quem sonha demais, vive de menos!

Planos, anseios, desejos, todos temos, a vida não é nada sem perspectivas, mas daí a viver de ilusões e sonhos, esperando ansiosamente que eles se realizem para que somente então você possa experimentar a felicidade, é pura bobagem, pura quimera!

A vida acontece aqui e agora! Saia desse casulo que você intitula de vida, reforme sua casa, reformule suas perguntas, cambie as respostas, ande de pernas pro ar, faça como a Xuxa e pinte um arco-íris de energia!

Permita-se escrever uma nova história, sem passados, sem olhar congestionado, uma história onde você possa emanar paz, alegria, prosperidade... Amor!

Quer experimentar um bom exercício? Deite na ponta da cama e observe o mundo de ponta cabeça, veja como existem coisas diferentes que você nunca havia visto!

Você não tem o poder de não ter um passado, mas você tem a capacidade de ignorá-lo, de esquecer as dores que ele lhe causou, você tem competência para mudar a si mesmo e criar um novo futuro!

Portanto basta apenas morrer, só mudamos realmente quando nos esvaziamos de tudo, quando abrimos nossas mentes para novas idéias, novos mundos.

“Purifica o teu coração antes de permitires que o amor entre nele, pois até o mel mais doce azeda num recipiente sujo.”
Pitágoras

Se hoje me permites lhe dar um conselho... Morra!


quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Mentes manipuláveis


Assisti um filme que me fez pensar bastante em algumas situações na vida, o nome é Laranja Mecânica um filme alternativo do bem conceituado Stanley Kubrick, elogiado por uns e criticado por outros.

O enredo trata-se de um jovem(Alex) que gosta de praticar a violência juntamente com sua gangue, no meio de um de seus ataques é pego pela polícia onde tem de cumprir dois anos de cadeia e é submetido a um tratamento para eliminar a violência de sua mente, após o tratamento Alex torna-se incapaz de fazer mal a uma mosca, aproveitando-se de sua fragilidade é então que todos aqueles a quem ele prejudicou resolvem se vingar, e em um ato de desespero o jovem tenta o suicídio, com isso é usado como munição contra o governo que para reverter a situação resolve protegê-lo.

Enfim... O filme é muito interessante, mas não estou aqui para criticar o filme em si, o que chamou a atenção é a forma como a mente de Alex é manipulada durante o tratamento para sua cura. Um garoto bonito, inteligente, brilhante, transformado pela sociedade em um grande saco de esterco ambulante sem atitudes próprias, pois essa é a reabilitação imposta!

Se analisarmos a reação de indignação das pessoas ao assistir o filme, na realidade não é a "ultra-violência" ou as cenas de sexo em si que incomodam, mas a forma natural como a qual esses atos são tratados pelos jovens. Ao meu ver é isso que as pessoas sentem ao assistir o filme, principalmente nas cenas mais marcantes: "Como alguém pode fazer isso? A mãe deles não ensinou que aquilo era errado?", voltamos então ao ato de desbastar fazendo com que nos sintamos envergonhados, Alex e seus drugues aparentam não possuir o fragmento censurado em suas personalidades, o que faz com que seu parcela sádica aja sem exprobração.

Levo o tema ainda mais além, o tratamento imposto ao jovem para livrar-se da ultra-violência é a própria exposição a violência, de forma que ele não possa ser responsável, ou seja, responder por suas atitudes quando trata-se de infligir as 'leis' que lhe foram impostas, logo, não roubar, não matar, não brigar, não transar...

Quantas vezes somos podados como se nossos atos fossem totalmente incorretos? Isso abordando um contexto geral da vida, alguém colocou em nossas mentes que não podemos mentir, que não podemos trair, e tantas outras coisas que não são permitidas. Crescemos então com uma censura psicológica enraizada em nossas mentes.

Mas sabe o que nunca nos disseram? Que devemos tomar nossas decisões por nós e não pelas outras pessoas. Nos ensinaram a ser éticos, a agir dentro do padrão de "normalidade" e nos disseram que uma pessoa que não é aceita, não é feliz! Criaram as regras em scripts para que tivéssemos que segui-las.

Foram tão longe com essas afirmações que criaram leis, religiões, ditaduras... E nós, por não nos responsabilizarmos por nossos próprios atos, seguimos!

Pergunto-lhe então... Alguém, algum dia lhe ensinou o que é ser responsável? O que é ser fiel? O que é felicidade? Ou você simplesmente leu mais um script?

Não ser vingativo porque vingança não te agrega nada e cada um tem o que merece, não mentir pois toda traição é uma mentira, não trair não pelo outro, por achar que ele não merece mas porque você não merece, porque você não precisa, porque você se respeita e por se respeitar você quer que todas essas regras vão para o espaço, juntamente com núcleo da normalidade.

Devemos nos soltar dessas censuras impostas, destas regras, devemos agir de acordo com nossa índole.

Quando você toma uma determinada atitude e depois se sente culpado, já parou para se perguntar se o sentimento de culpa é porque você agiu diferente de seus princípios ou se é porque você agiu diferente da censura a ti imposta por vários fatores? Complicado diferenciar não é?

De que adianta pensar de uma forma, se agir de outra totalmente diferente? Um homem é medido pelos seus atos e não pelos seus sentimentos.


Você é fiel a sí ou se permite ser manipulado?


Obs. Este texto não trata-se de uma crítica ou uma explicação do filme Laranja Mecânica, mas de alguns de meus devaneios pessoais ao assistir o mesmo, Kubrick é gênio demais para que no momento eu possa expressar alguma critica infeliz a respeito desta obra de arte!

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Lixo Alheio


Quantas vezes aceitamos determinadas situações por medo de falar o que realmente sentimos ou achamos? Quantas vezes nos reprimimos por medo do resultado de nossos atos?

Aposto que você já se viu em uma conversa desconfortável, em um lugar desagradável ou com pessoas desfavoráveis, mas no momento fez cara de paisagem e aceitou! Não saiu, não recusou, não cortou!

"Deve ser o nosso jeito de sobreviver, engolindo esse lixo moral e fingindo que está tudo bem." Lya Luft

Fazemos isso o tempo todo, e fazemos porque temos medo da rejeição, medo de não ser aceito, porque o ser humano precisa provar pra si mesmo que é aceito, que faz parte de uma sociedade, temos medo do que as pessoas possam vir a pensar de nós, como nos chamar de insensíveis, sem coração, sem alma... aaahh... Sem alma!

Justamente por ter uma alma, é que você deve cuidar da sua! Você cuida do seu cabelo? Da sua unha? Da sua pele? Então porque você não cuida da sua alma? De que adianta estar bonito por fora e podre por dentro? Sabia que a sua alma é quem passa a sensação de beleza para as pessoas? É!

Alias... não é você quem cuida não é? Você paga pra alguém cuidar pra você! Se bem que... Quem tem que conviver com sua podridão interna é você mesmo, não sou eu e nem ninguém! Não cuidar da alma é como viver em uma casa que não é sua, em uma espelunca caindo aos pedaços.

Quando se aceita essas coisas ruins esta atraindo energias, e aceitando que elas se tornem cada dia maiores, porque nossos atos são como grandes avalanches, que começam de uma pequena queda e crescem de forma absurda, não somente para as águas ruins, as boas também! Energia chama energia e quando percebe-se a avalanche já destruiu/construiu tudo que viu pela frente.

Em algumas observações, pude perceber o quanto as pessoas gostam de descarregar o lixinho delas sobre as outras, fazendo sua defecação enorme na cabeça alheia e depois delegando suas responsabilidades para o primeiro tolo disposto a assumi-las.

Então é hora de se olhar no espelho e perguntar: "Qual minha profissão? Tenho cara de Gari?!"

Pois é... Se todos te procuram pra descarregar o lixo é porque você tem cara de gari e não porque é uma pessoa popular! As pessoas te procuram pra te dar boas noticias? Te ligam pra dizer que estão grávidas, que vão fazer uma viagem, que estão noivas, que estão felizes?

Não né... É sempre porque alguma coisa deu errado, porque brigou com o namorado, porque cometeu um erro tamanho.

Não que não se deve dar o ombro à um amigo ou virar as costas para as pessoas, mas atrair uma única energia sem haver um contra-peso deve ter algo de errado! Nunca se esqueça que semelhante atrai semelhante e é assim que a avalanche começa...

Em uma roda de conhecidos surge um assunto que você não gosta, falar da vida alheia, discutir sobre religião, ou até sentir aquela energia negativa, o que você faz? Fica ali ouvindo? Inalando aquele grande fedor de coisa podre? Você fica perto de defunto em decomposição? Você anda no lixão? Você come comida estragada?

Aposto que não né? Então PORQUÊ aceitar essas situações? Porque mastigar esse alimento putrefato? É tudo a mesma coisa... É lixo, é odor, te infecta e quando você sai de lá sai com o aroma de coisa estragada!

Assim é a alma, ela se suja quando recolhe essa grande porcaria.

Não segure a onda de ninguém que não é de seu interesse, não abrace pessoas e situações desagradáveis, não ofereça seu coração a quem não mostrar um mínimo de dignidade.

Se a pessoa teve a oportunidade de tomar um banho e dormir na sua cama cheirosinha, mas mesmo assim continuou vagando a noite no lixo, mesmo sabendo que era errado, mesmo sabendo que poderia sujar outras pessoas, porque você tem que dar o seu chuveiro? Para que sujem seu banheiro?! Aaa não! Não não não... Pára com isso... Na sua casa só quem tem o direito de sujar é você!

Não se preocupe em agradar as pessoas, quem gostar de você, vai gostar assim, do jeito que você é, sem máscaras, sem se submeter a situações desagradáveis. Nem implore para recolher o lixo alheio, porque quem quer, quem realmente precisa, pede, e pede porque dói, porque incomoda! 

Você já tem sua própria vida para resolver, então cada um que cuide de si mesmo.

O que você acha de mudar de profissão?

domingo, 21 de agosto de 2011

Acreditar


Ela não estava feliz, nem satisfeita consigo mesma, sua vida estava atribulada demais com suas obrigações, sem harmonia para continuar caminhando, ela sentia-se cada vez mais desesperada mas não desistiu, continuou e continuou... Lutando dia após dia contra sí mesma, contra o que se alojava ali dentro.

Não era possível que o mundo estivesse errado e ela estivesse certa, então resolveu mudar!

Decidiu que o próximo passo era harmonizar-se o máximo possível, para que sua presença fosse suportável a si, pois se ela não era capaz de suportar-se, quem seria? Durante um tempo ela esperou, ela conheceu-se, conversou consigo mesma, e analisou o que estava lhe incomodando, claro que ninguém consegue carregar o mundo nas costas sozinho, e ela buscou ajuda da forma que era possível.

As pessoas diziam que era louca, que aquilo não fazia o menor sentido, que isso não era coisa de pessoas maduras, mas ela continuou olhando em frente, com foco em seus objetivos, e quando nas poucas vezes ela achava que não tinha forças, sempre havia alguém que ainda acreditava, e a ajudava a acreditar.

Até que um dia ela olhou-se no espelho, e percebeu que havia algo de diferente, que ela se sentia finalmente em paz, se sentia plena, como nunca havia se sentido antes... Como se não houvesse mais o vazio.

Mas o  mais importante é que ela nunca deixou de acreditar em si mesma!

terça-feira, 9 de agosto de 2011

O texto de hoje tem uma ar todo especial, devido a uma amiga, digo... uma irmã, uma pessoa especial e maravilhosa que me faz admira-la sempre, que mesmo estando tão distante em corpo, esta cada dia mais próxima em  coração, em pensamentos.

É engraçado como podemos ser pessoas tão diferentes e tão iguais ao mesmo tempo, em resumo de nossa amizade, éramos duas adolescentes 'loucas', roqueiras, alegres, divertidas, quando estávamos juntas não existia nada que pudesse nos entristecer, éramos duas meninas sonhadoras,  duas crianças que acreditava que a vida era somente felicidade, nossas vidas eram uma festa, as pessoas sabiam que onde estava uma, estaria a outra, éramos as Exageradas. Um dia, minha amiga que estava cursando enfermagem resolveu freqüentar a igreja e virou missionária para profetizar pelo mundo, ela largou tudo, eu digo TUDO e foi!

Hoje, seguimos caminhos diferentes, mas o mais engraçado, é que por mais que nossos caminhos e destinos sejam distintos, parece que estamos sempre entrelaçadas, como uma força que nos puxa pra perto, é como diz a musica do Teatro Mágico:

"Enquanto houver você do outro lado, aqui do outro eu consigo me orientar." Teatro Mágico

E é bem assim mesmo, como uma bússola, uma consegue sentir o que a outra está sentindo, mesmo sem ter contato há meses. E uma sabe exatamente o que dizer a outra quando palavras são necessárias, e eu digo... Com tudo o que acontece em nossa volta, em nossas vidas, há como não acreditar em sincronicidade, Deus, Universo?!

Li em um blog esses dias, que fé nada mais é que acreditar em si mesmo, minha amiga tem uma fé imensamente incrível, admirável! Ontem em uma conversa eu pude ver o quanto ela acredita, e eu gostaria acreditar em algo com a intensidade com que ela acredita. Ter fé é muito bom, porque todas as coisas fluem incrivelmente! Existe fé maior do que deixar tudo pra trás e seguir em busca de um sonho? Deixar a casa, família, amigos, e viajar pelo mundo sem nenhum tostão no bolso?

Estou aqui pra falar de fé independente de em que/quem ela seja, quero aproveitar para anexar este assunto ao tema sincronicidade.

Vejo nessa história que seu pedido é feito com tanta fé, que as coisas realmente acontecem pra ela, ela esta em estado de plenitude, porque ela segue seus instintos, e o universo conspira a seu favor.

Acredito, contudo, que temos uma coisa muito importante a aprender, ter fé! Acima de tudo, ter fé em si mesmo, porque nós temos que acreditar de verdade!

Qual a intensidade que você acredita em sí mesmo e em seu potencial? Você está realmente desejando e buscando o melhor pra sí mesmo ou apenas empurrando com a barriga?

Vamos responder essas perguntas para nós mesmos?!


quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Ansiedade


A ansiedade é o ato de ficarmos constantemente fora do momento do aqui e agora, e ir em direção ao desconhecido, vulgo futuro, é o ato de sair do presente, e muitas vezes oscilando entre o passado e o futuro, parece que o presente não lhe agrada ou não é o que você espera que seja. Você pode estar preocupado demais com o futuro ou pesaroso com o passado, não importa, é ansiedade, pára com isso!!! Okay? rs

Já ouviu aquele termo “estou nervoso”... Nervosismo não existe, o nome disso é ansiedade! Pois é! Presta atenção em você mesmo quando disser essa frase! Pode ser em uma entrevista de emprego, em um encontro, em uma apresentação em público, nessas situações isso acontece porque estamos preocupados em atingir nossas expectativas!

As vezes ficamos ansiosos até por nenhum acontecimento específico, mas você está tão acostumado com a ansiedade que se sente assim, pois  é a sua mente trabalhando em acontecimentos futuros e passados, “pré-ocupada”.

Faz um tempinho, fui a uma palestra sobre este assunto, e estava prometendo faz tempo vir aqui comentar a respeito, (se estiver interessado pode ver mais clicando aqui) anotei algumas coisas interessantes, que achei legal compartilhar.

A ansiedade pode ser dividida em três categorias:

Natural: Tem como símbolo um dragão, que é o símbolo de força de poder, um animal perigoso, mas uma vez dominado as coisas fluem, essa é a ansiedade natural porque é a energia natural, geralmente impulsionada por doença, abandono, fracasso ou morte, que vem do instinto de preservação do ser humano, e o propósito dela é te impulsionar.

Tóxica: A ansiedade se torna tóxica quando a ansiedade natural não é bem trabalhada, quando ela é ignorada, se torna destrutiva, e ao invés de ficar se lamentando, é necessário agir.

Sagrada: São perguntas da vida, morte, porque da existência, propósito de vida.

Cada pensamento do cérebro não só é um pedido ao universo, o pensamento age em nosso corpo como um acontecimento bioquímico, e quando temos uma grande quantidade de pensamentos negativos, eles direcionam impulsos negativos e destrutivos não só para nós, mas para todos os que estão por perto, ai é aquela onda de energia negativa, um horror! Ninguém consegue chegar perto de você, e você ainda solta aquela típica “Que fase!” rsrs, mas a culpa é sua! Ninguém quer chegar perto de alguém negativo, se você expulsa você mesmo pra longe de si, acha que os outros vão fazer o que? Não né... Ninguém se joga da ponte!

Como podemos fazer para controlar nossa ansiedade para que ela não venha a nos prejudicar, na vida pessoal, no trabalho, espiritualmente?

Ahh... É simples, basta querer de verdade! Temos que combater os fantasmas do passado, não adianta mais pensar no que já passou, e ficar se cobrando, você tem que perdoar a si mesmo e aqueles que lhe feriram, aceitar que aquele era o seu melhor naquele momento, aceite, aprenda a lição e bola pra frente! E o futuro que é o principal causador da ansiedade... Ele ainda não chegou, logo não adianta ficar se preocupando com ele, vou dar um clichê típico de “O Segredo”, ATENÇÃO olha o presente, viva o aqui e o agora, desencana do resto! Não vai adiantar! Quando estamos fazendo algo, mas ficamos com o pensamento longe, não aproveitamos aquele momento, e depois não lembramos do momento como deveríamos, como ele merecia ser lembrado!

Sabe, pára de se fazer de vitima, para de querer dar uma de coitado, vamos lá! Aja, faça alguma coisa por si mesmo, a vida é sua, quem tem que suportar isso é você e ninguém poderá fazer isso por ti!

Desapegue! 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...