domingo, 9 de outubro de 2011

Catarse


Hoje ainda é segunda-feira, e me pego pensando então, refletindo sobre as circunstâncias da vida, sobre os motivos que me trouxeram até aqui, e sobre todos aqueles que estiveram presente mesmo que em apenas um pequeno trecho, faço então um catarse de minhas memórias, catarse esse que ficará aqui, apenas para vomitar tudo o que me suja, como um grito de liberdade!

Cada pedacinho, cada momento...

Hoje, tenho uma visão mais crítica de tudo, e amanhã isso pode ser ainda pior. Começo a ver a quantidade de situações boas e ruins que atrai na estrada até aqui e me vejo como responsável por tudo que aconteceu, pois na realidade o universo apenas me trouxe tudo o que pedi.

Parei para refletir a respeito das personalidades da maior parte das pessoas que estiveram ao meu lado. Posso perceber um fator comum entre todos eles, um fator que eu jamais havia notado, e também um ciclo vicioso mantido por mim, ciclo este que deixo aqui, neste texto, vomitado, exposto, abro minha ferida para que ela possa enfim ser curada e cicatrizar.

Sempre me doei demais para todos, qualquer pessoa, sempre acreditei no melhor do ser humano, sempre me coloquei em segundo plano porque achava que era minha obrigação ser uma alma boa, que tinha obrigação de trazer alegria, que minha função era fazer as outras pessoas felizes!

Sempre procurei pessoas que queriam e exigiam demais, para que eu pudesse satisfazer meu desejo de me doar demais, e então culpá-las por minhas frustrações, minhas anulações. Mas as pessoas são o que são e eu as chamei por algum motivo!

Motivo este que nunca aprovei, que já critiquei, mas que vejo com clareza que estiveram presentes em todas as situações ruins. Precisei me magoar mil vezes com as mesmas pessoas, e quando elas iam embora e eu achava que tudo iria se resolver, vinham outras iguais para desempenhar o mesmo papel, é como se fosse sempre o mesmo indivíduo com vários personagens distintos.

Hoje, pela primeira vez, eu finalmente percebo que não é minha função fazer ninguém feliz, por mais que minha alegria seja aparente e emane por todos os lugares, por mais que todos queiram sentir um pouco da minha energia, sou responsável apenas por mim mesma, pela minha felicidade, pois cada um é responsável por si! 

Dedico este texto ao meu eu mais profundo, que está prestes a ser expulso por mau uso de bem!



2 comentários:

  1. Gosto como vc de olhar para as minhas mazelas, ´q é olhando pra eles, falando sobre elas que lambemos e curamos nossas feridas, aliás tenho um poema que fala sobre isso. Gosto muito de te ler é como se eu me visse e me reconhecesse nas suas linhas. Bjão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que lindo Kika!
      Fico feliz que goste!
      Beijão! ♥

      Excluir

Sua opinião é muito bem vinda!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...