segunda-feira, 7 de agosto de 2017

O que é a vida?!

Utilizar o raciocínio lógico para responder essa pergunta parece ser ideal, mas talvez não seja a maneira mais indicada.

Abujamra em seu programa Provocações não mede esforços para questionar seus interlocutores “O que é a vida?!”.

E ele não sossega enquanto os pensadores lhe respondem com respostas prontas ou raciocinadas, Abujamra busca alcançar a alma, aquela chama criadora que nos torna humanos.

A vida pra uma criança pode significar aquele único instante de riso e brincadeiras com amigos, ou um afago apertado da mãe ausente que trabalhou o dia inteiro.

Pra um mendigo desprendido de qualquer bem de consumo ou norma da sociedade a vida pode ser a companhia de seu cão, ou o alimento que acabou de conseguir por meio de uma esmola, provavelmente esse diria “A vida?! É isso aí!”

Um ganancioso diria que a vida é acumular bens, esse provavelmente é tão pobre que só tenha dinheiro.

Um depressivo diria que a vida é um grande monte de esterco.

Um apaixonado que ela é amor.

Mas o que é a vida afinal?! Um espaço de tempo que temos para desenvolvimento e ascensão espiritual? Espaço entre o nascimento e a morte?

Fecho os olhos mentalizando a palavra Vida e me vêm imagens como: crianças interagindo entre si, um bebê, o olhar dos meus bichos de estimação, o orvalho da manhã, uma montanha, cachoeira, mar, sol, um sorriso sincero, um choro, uma orquestra, balé...

Vida, tudo aquilo que me compõe, incompleta pelo que me falta, e completa pelo que sou.

Mas… O que é a vida?! Sinceramente, não faço ideia, não tenho essa resposta… Me ajuda a responder, por favor!?


terça-feira, 20 de junho de 2017

Onde Moras?

Moro por onde o vento passa
Um espaço eterno entre o inicio e o fim
Onde o inicio não tem começo
E o fim não tem tropeço.

Onde moras?
Ah... Por ai! 

Onde moras?
Moro onde a alegria prevalece
Onde os pássaros cantam 
A noite anoitece
e as águas encantam.

Alguns desistem,
outros insistem.

Onde moras?
Seu moço,
Eu não moro em lugar algum
Eu moro em mim,
Me deixe ser assim.

Sou livre, apenas.

terça-feira, 4 de abril de 2017

Amor?


Quem é esse tal de amor?
De onde vem e o que ele come?
As religiões pregam amor,
As pessoas pregam amor...

"A única verdade é o amor!" Eles dizem...
Mas, o que é o amor então?

Não entendo desse tal de amor, 
Na minha vida ele sempre veio disfarçado...
Com uma voz doce e um brilho no olhar.
Mas um coração putrefato,
Como no conto do Barba Azul.

Estamos na era da individualidade,
O outro só me serve se for uma extensão de mim mesmo. 
As religiões?
Essas são escolhidas de acordo com sua serventia em meu modo de viver. 
E se amanhã eu mudar, que problema há?
Nenhum, Darwin comprovou em sua teoria da evolução das espécimes que: somente os seres adaptáveis a mudanças estão aptos a sobrevivência.

Em contrapartida "eu não vou me adaptar" é o grande jargão da mocidade.
Onde eu mudo todos os dias, mas não pra me adaptar, na verdade, quero que o outro se adapte a mim.
Será que sobrevivo assim? 

Difícil coexistir com tantas variáveis...
O homem em toda sua 'pré-potência' modifica o entorno,
procurando atender a si mesmo.

Existe amor genuíno afinal?
Porque o que tenho observado é um amor egocêntrico.
Onde o ser que habita em mim domina o ser que habita em você.
Isso é amor ou será que estamos enlouquecendo?

Talvez esse tal de amor seja um bicho, quase extinto, mas preservado em algum lugar.
Talvez ele seja como uma borboleta que aparece na primavera,
Ou então, um bicho arisco cansado de ser machucado,
Que se camufla como um camaleão, apenas pra se proteger.
Mas ele deve estar escondido em algum lugar.



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...